Sexta-feira, 27 de Agosto de 2010


Sou terra, cinza e pó; eu não sou nada !!!

Eu vim a este mundo desumano,

Quando saí do útero da mãe,

Concebido talvez por engano.

 

Eu sou aquele aborto proibido,

Que foi intensamente desejado.

Talvez um nascimento consentido,

P'ra vir a ser por muitos odiado.


Por isso, eu sou a vida e sou a morte,

Neste mundo em constante evolução,

Sem saber qual será a minha sorte.


Mas eu sou um poder constante e forte,

Que sabe derrotar a solidão,

À procura do amor que me conforte!

 

 

Manuel Portugal Pires



publicado por Manuel Portugal Pires às 17:04
Sou terra, cinza, pó ...
mais sobre mim
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


posts recentes
arquivos
2010

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO